top of page

O Federal Reserve mantem taxa de juros inalterada


O Federal Reserve manteve sua taxa de juros de referência inalterada na quarta-feira, mesmo com as autoridades sinalizando apoio para uma política monetária mais rígida ainda este ano e menos cortes nas taxas no próximo ano.


O Comitê Federal de Mercado Aberto optou por não elevar a taxa de juros após sua última reunião de dois dias e votou unanimemente para manter a taxa dos fundos federais entre 5,25% e 5,5%. Isso estava em consonância com a estratégia do banco central dos EUA de agir com cautela nas últimas fases de sua batalha contra a inflação.


Desde março de 2022, o Fed tem implementado uma das campanhas mais agressivas para conter a demanda de consumidores e empresas em décadas, em uma luta contra as pressões sobre os preços que se mostraram muito mais persistentes do que o esperado.


Em comunicado, o comitê afirmou que permanece "muito atento aos riscos de inflação", observando que a atividade econômica tem se expandido a um "ritmo sólido" e que os ganhos de emprego, embora mais lentos, foram "fortes".


O Fed também divulgou na quarta-feira um novo conjunto de projeções econômicas individuais de seus membros, que previam um crescimento mais forte este ano e uma perspectiva de inflação mais benigna em comparação com estimativas anteriores divulgadas em junho.


Essas projeções, conhecidas como gráfico de pontos, também indicaram apoio para que a taxa dos fundos atinja um pico entre 5,5% e 5,75% - o que se traduz em mais um aumento de um quarto de ponto percentual este ano - enquanto prevêem menos cortes nas taxas de juros para 2024 e 2025.


No entanto, não é garantido que o Fed siga com uma política mais rígida. As autoridades estão cada vez mais focadas nos riscos que a maior economia do mundo enfrenta, ao mesmo tempo em que permanecem alertas para a ameaça de inflação elevada se consolidar.


As autoridades também estão cientes de que o impacto de meses de taxas de juros mais elevadas pode estar se tornando evidente agora, assim como o arrefecimento do mercado de trabalho dos EUA. Novos desafios ao crescimento também surgiram, incluindo a retomada dos pagamentos de empréstimos estudantis, uma greve não resolvida dos trabalhadores do setor automotivo e um iminente impasse governamental.


Os formuladores de políticas estão equilibrando essas preocupações com dados que mostram que a demanda em muitos setores continua robusta, impulsionando os fortes gastos dos consumidores e potencialmente dificultando a batalha para trazer a inflação de volta à meta de longo prazo de 2% do banco central.

9 views0 comments

Comments


bottom of page