top of page

Sam Bankman-Fried Afirma ao Juiz que Não Acreditava Ser Crime Transferir Fundos de Clientes da FTX

Updated: Oct 28

26/10/2023

Na quinta-feira, Sam Bankman-Fried falou perante um juiz em uma audiência importante, onde se discutiu a possibilidade de ele testemunhar diante de um júri sobre como os conselhos dos advogados da FTX influenciaram suas decisões na exchange de criptomoedas.


Bankman-Fried alegou que a FTX permitiu que ele usasse dinheiro dos clientes depositado na plataforma Alameda Research, baseando-se em um documento de "termos de serviço" elaborado com a ajuda do principal advogado da FTX.


Esta foi a primeira vez que o jovem de 31 anos, conhecido no mundo das criptomoedas, utilizou suas próprias palavras em um tribunal para explicar suas ações durante o colapso dramático da FTX em 2022. Acusações afirmam que ele desviou bilhões da FTX para financiar investimentos, doações políticas e propriedades imobiliárias.


"Você acreditava que estava agindo de acordo com os termos de serviço anteriores?", perguntou seu advogado, enquanto ele estava no tribunal.


"Sim", respondeu Bankman-Fried. As palavras foram ditas sem a presença de um júri, uma vez que o juiz Lewis Kaplan decidiu enviá-los para casa para que ele pudesse avaliar se o testemunho de Bankman-Fried sobre conselhos jurídicos seria permitido.


O aconselhamento que ele recebeu parece ser crucial para sua defesa, embora seu advogado tenha ressaltado que não se trata de uma defesa formal de "aconselhamento jurídico". A defesa esperava que o juiz permitisse que Bankman-Fried explicasse perante um júri como ele confiava nas orientações dos advogados da FTX.


Em um documento apresentado ao tribunal, seus advogados argumentaram que Bankman-Fried deveria poder testemunhar sobre sua confiança nos advogados da FTX que auxiliaram na elaboração dos termos de serviço, na implementação de políticas de autoexclusão de comunicações da empresa e na abertura de contas bancárias para a Alameda, bem como na elaboração de empréstimos para executivos da empresa.


Seus advogados também afirmaram que ele não tinha a intenção de prejudicar os clientes e acreditava que o uso dos depósitos dos clientes era permitido e estava de acordo com os direitos e obrigações que regiam o relacionamento entre a FTX e seus clientes. A audiência de Bankman-Fried atraiu uma sala de audiências lotada de pessoas que esperaram na fila desde as 3 da manhã, incluindo o autor Michael Lewis, que lançou um livro sobre Bankman-Fried este mês.


O depoimento de Bankman-Fried deu uma amostra de como ele se apresentaria perante um júri. Ele frequentemente se desculpou antecipadamente por possivelmente não responder plenamente às perguntas do governo durante o interrogatório cruzado. O juiz Kaplan chegou a chamar a atenção de Bankman-Fried por sua maneira peculiar de responder às perguntas.


Em seu depoimento, Bankman-Fried discutiu amplamente por que suas mensagens eram ou não configuradas para serem excluídas automaticamente e se ele estava ciente de certos privilégios especiais concedidos à Alameda quando negociava com a FTX.


Muitas de suas afirmações entraram em contradição com depoimentos anteriores de colegas próximos, como a CEO da Alameda, Caroline Ellison, e o co-fundador da FTX, Gary Wang, que alegaram que Bankman-Fried estava diretamente envolvido nas decisões da empresa. Bankman-Fried afirmou que ele e outros colegas fizeram empréstimos pessoais e empréstimos para investimentos da empresa Alameda, com todos esses detalhes sendo elaborados pelo departamento jurídico.


Ele também compartilhou que discutiu os empréstimos com advogados da FTX e que esses empréstimos foram estruturados com a orientação jurídica. Bankman-Fried acreditava que a Alameda tinha permissão para pegar empréstimos da FTX em diversas situações, baseando-se nos termos de serviço da empresa. Can Sun, o advogado geral da FTX, estava fortemente envolvido na elaboração desses termos, e Bankman-Fried autorizou seu avanço.


O fundador da FTX também acreditava que era permitido utilizar ativos mantidos pela FTX como garantia para empréstimos. Vários ex-colegas afirmaram que a Alameda tinha uma linha de crédito ilimitada na FTX e podia manter um saldo negativo sem sofrer liquidação. Bankman-Fried disse que, em maio de 2022, ele não estava especificamente ciente do recurso que permitia manter um saldo negativo.


Bankman-Fried também defendeu o uso de uma função de exclusão automática no aplicativo de mensagens Signal, utilizado por executivos da FTX e da Alameda. Ele explicou que discutiu as exclusões automáticas com advogados e acreditava que decisões formais de negócios deveriam ser mantidas, enquanto conversas informais não precisavam ser salvas. Ele achava aceitável excluir conversas informais.


Uma das dificuldades que os promotores enfrentam ao guiar os jurados pelo colapso da exchange de criptomoedas, que um dia foi próspera, é a falta de documentação deixada por Bankman-Fried. Ele instruiu sua equipe a não registrar informações sensíveis em e-mails, mensagens e outros registros, e a usar aplicativos de mensagens com autodeleção.


Ellison, Wang e outros ex-funcionários da FTX testemunharam que Bankman-Fried limitava conscientemente a documentação. Eles afirmaram que ele omitia informações confidenciais de e-mails e mensagens, e instruía sua equipe a usar aplicativos de mensagens com autodeleção.


Bankman-Fried discutiu o chamado "teste do New York Times" na quinta-feira, referindo-se à prática de que qualquer coisa por escrito em mensagens deveria ser algo com o qual eles se sentiriam confortáveis caso fosse parar nas manchetes do jornal The New York Times.


9 views0 comments
bottom of page