Search

Rebalanceamento de Ativos

Updated: Oct 11

Tradução e composição: João Pedro Pantojo

Fontes:

https://swissborg.com/blog/value-of-rebalancing

https://www.fidelity.com/learning-center/investment-products/etf/smart-beta

https://www.investopedia.com/terms/s/smart-beta.asp



O que é rebalanceamento de portfólio?

O rebalanceamento - ou reequilíbrio - baseia-se no processo de manutenção das alocações de ativos de um portfólio, que são relacionados aos níveis definidos por um plano de investimentos. Estes níveis se relacionam à tolerância do investidor, ao risco e também ao desejo de recompensa.

As alocações de ativos podem mudar à medida que o desempenho do mercado altera estes valores. Nesse sentido, seja um portfólio tradicional ou cripto, o rebalanceamento envolve comprar ou vender, periodicamente, os ativos do portfólio. Essa ação tem o objetivo de recuperar e/ou manter o nível original e desejado de alocação de ativos.


Por exemplo:

Imagine um portfólio com uma alocação de ativos original de 50% de ações e os outros 50% de títulos. Se os preços das ações subirem durante um determinado período de tempo, o valor mais alto poderia aumentar a proporção de alocação na carteira, por exemplo, em 70%. A ideia de rebalanceamento consiste no poder de decisão do investidor em vender e comprar ações e/ou títulos para realinhar a alocação original (50%-50%).


Pontos chave

  • O rebalanceamento é o ato de ajustar a alocação de ativos do portfólio para corresponder à alocação original definida pelo perfil de risco e a recompensa do investidor.

  • Existem diversas estratégias de rebalanceamento: calendário, mix constante e seguros de carteira


Como funciona o rebalanceamento?

A alocação depende das necessidades e objetivos de cada investidor. É possível que os investidores modifiquem o ajuste de risco geral do portfólio para atender às mudanças nas necessidades financeiras. Caso um investidor precise de maior potencial de retorno, ele poderá aumentar a alocação em ativos que envolvem maior risco, como ações, para melhorar esse potencial.

A maneira mais fácil de explicar o rebalanceamento é imaginar um portfólio diversificado. Os ativos, neste exemplo, serão criptomoedas.

Digamos que este portfólio consiste em BTC, ADA e ETH e tem uma alocação alvo de 50% BTC, 25% ADA e 25% ETH. Essas porcentagens refletem no valor total da carteira.

Cada ativo tem um preço diferente, a porcentagem de um ativo dentro da carteira deverá ser calculada em uma moeda base, como USD. Ou seja, se você tivesse US$ 1000 para criar o portfólio, poderia comprar US$ 500 em BTC, US$ 250 em ADA e US$ 250 em ETH

Com o tempo, à medida que os preços sobem e descem no mercado, a alocação percentual de cada ativo no seu portfólio muda. É nesse momento que o rebalanceamento entra em ação.

O rebalanceamento consiste em tentar consistentemente comprar na baixa e vender na alta. Embora a operacionalização destas ações possa ser muito afetada pelas emoções do investidor, quando implementamos a automatização do processo de rebalanceamento é possível descartar a emoção reduzindo o risco.

O rebalanceamento ou reequilíbrio de portfólio tem o objetivo de proteger os investidores da exposição a riscos indesejáveis, ao mesmo tempo que oferece exposição à recompensa.



Quando fazer o rebalanceamento?

Não existe um cronograma obrigatório para rebalancear um portfólio, porém mesmo em aplicações de baixa volatilidade é recomendável que os investidores examinem as alocações pelo menos uma vez por ano.

Um dos pontos positivos do rebalanceamento é a oportunidade ao investidor de vender na alta e comprar em baixa. Dessa maneira é possível aproveitar os ganhos de investimento de alto desempenho e fazer o reinvestimento em áreas que tem um índice potencial de crescimento notável.


Tipos de rebalanceamento

Rebalanceamento de calendário

Esta estratégia envolve analisar e ajustar as participações de investimento dentro do portfólio em momentos pré-determinados.

O reequilíbrio semanal pode ser excessivamente caro e desnecessário. Portanto, muitos investidores de longo prazo fazem o rebalanceamento uma vez por ano. Já outros tipos de investidores com perspectivas e objetivos diferentes podem fazer esse reequilíbrio trimestral ou mensalmente.

A frequência ideal de reequilíbrio deve ser determinada com base nas restrições de tempo do investidor, limite para custos de transação e provisão para desvio de valor.


Rebalanceamento de mistura constante (Constant Mix)

É considerada uma abordagem mais responsiva ao balanceamento que se concentra na composição percentual permitida de cada ativo no portfólio.

Um peso alvo e uma faixa de tolerância são estipulados para cada classe de ativos ou título individual. Por exemplo, uma estratégia de alocação pode ter como exigência manter 30% em ações de mercados emergentes, 30% em blue chips internacionais e 40% em títulos do governo com um corredor de +/- 5% para cada classe de ativos.

Neste exemplo, as participações de blue chip nos mercados emergentes e domésticos podem flutuar entre 25% e 35%. Ao mesmo tempo, de 35% a 45% do portfólio deve ser destinado a títulos públicos. Quando o peso de qualquer um dos ativos se mover para fora de sua faixa permitida, todo o portfólio será reequilibrado a fim de refletir a composição original da meta.


Seguro de Portfólio de Proporção Constante

O Seguro de Carteira de Proporção Constante (CPPI) é uma estratégia de reequilíbrio baseada na premissa de que o risco aumenta junto com a riqueza. Para proteger seu capital contra riscos, você precisa alocar uma parte em dinheiro vivo – ou trazendo para um exemplo no mercado cripto, em stablecoins. Isso garante que seu patrimônio esteja protegido e que seu portfólio não esteja sujeito a extrema volatilidade.

Se o capital estiver concentrado completamente em criptomoedas e o mercado bater recordes, acontecerá um grande impulso no portfólio. Porém, uma volatilidade em sentido inverso pode causar um grande estrago. Para proteger o capital e garantir lucros, é preciso trocar parte dos tokens por stablecoins.

Digamos que você tenha US$ 100.000 em criptomoedas e outros US$ 100.000 em stable(USD@). Se o mercado cair 30%, especificamente, nas suas participações em criptomoedas, levando a perdas de US$ 30.000. Isso significa que a sua carteira total valerá $ 170.000. Se todo o seu dinheiro estivesse em criptomoedas, você perderia US$ 60.000 e teria US$ 140.000. Mas ao manter stablecoins no mercado em baixa, não apenas se evita perdas, mas também ganha-se a oportunidade de reequilibrar o portfólio recomprando criptomoedas na baixa.


Rebalanceamento Beta Inteligente (smart beta)

O desempenho do mercado de ações, seja como um todo ou em diferentes segmentos, é medido por índices do mercado de ações. O termo "beta" é simplesmente uma medida da sensibilidade de uma ação ao movimento geral do mercado de ações.

Se o desempenho de uma ação tem sido historicamente mais volátil do que o mercado como um todo, seu beta será superior a 1,0. Por exemplo, uma ação com beta de 1,2 é 20% mais volátil que o mercado. Portanto, se o S&P 500 subir 10%, espera-se que uma ação com beta de 1,2 suba 12%.O Smart beta funciona nos dois sentidos. Se o S&P 500 cair 10%, uma ação com beta de 1,2 deverá cair 12%. Geralmente, quanto maior o beta de uma ação, mais volátil ela é.

Conforme explicado acima, a sensibilidade de uma ação aos movimentos no mercado mais amplo é medida pelo seu beta. Ao entender o beta de uma ação, os investidores podem teoricamente construir um portfólio que corresponda à sua tolerância ao risco.

Smart beta refere-se a uma estratégia de indexação aprimorada que busca explorar certos fatores de desempenho na tentativa de superar um índice de referência.

As estratégias smart beta também diferem dos fundos mútuos gerenciados ativamente, nos quais um gestor de fundos escolhe entre ações ou setores individuais em um esforço para superar um índice de referência. As estratégias de smart beta buscam aumentar os retornos, melhorar a diversificação e reduzir o risco investindo em índices personalizados ou ETFs com base em um ou mais "fatores" predeterminados. Eles visam superar ou ter menos risco do que os benchmarks tradicionais ponderados por capitalização, e normalmente têm despesas mais baixas do que um fundo tradicional gerenciado ativamente.


Quais são as vantagens e desvantagens do rebalanceamento?

Vantagens

  • O rebalanceamento tem a capacidade de manter o portfólio dos investidores alinhados com a sua tolerância ao risco e necessidade de retorno.

  • Mantém uma alocação de ativos pré-determinada definida pelo plano de investimento.

  • É uma abordagem de investimento disciplinada e sem emoção que pode reduzir a exposição ao risco.

  • Pode ser alterado à medida que as necessidades financeiras dos investidores e os objetivos de investimento se modifiquem.

  • O rebalanceamento pode ser feito por investidores individuais experientes ou administrado por gerentes de portfólio.

  • Torna o investidor mais disciplinado: Os investidores que se atêm ao reequilíbrio colocam seu foco em seu portfólio e não no mercado.

  • Aproveitar as oscilaçõesde preço: Da mesma forma que o preço de um ativo pode cair, ele também pode disparar. Com o rebalanceamento, os ganhos de um pico de preço são distribuídos entre os outros ativos do portfólio. Se o preço do ativo que disparou caísse para seu estado original, você ainda obteria um retorno positivo graças ao reequilíbrio.

Desvantagens

  • O rebalanceamento envolve custos de transação, que podem reduzir o lucro líquido. Portanto não deve ser realizado desnecessariamente.

  • É requerido investir conhecimento e experiência para reequilibrar conforme necessário e reduzir a exposição ao risco de forma adequada.


Rebalanceamento no mercado Cripto

O mercado de criptomoedas é particularmente muito volátil, sendo bastante adequado a estratégias de rebalanceamento para manter a alocação original de ativos e evitar riscos.


Tipos de rebalanceamento mais comuns no mercado Cripto

Periódico

O tipo de rebalanceamento mais básico é chamado de rebalanceamento periódico. Com o rebalanceamento periódico, sua alocação de ativos é ajustada em um intervalo de tempo predeterminado - a cada dia, semana, mês, etc.

Este tipo de rebalanceamento é ótimo para investidores iniciantes em criptomoedas. As alocações de ativos não são alteradas, mesmo que o portfólio esteja desequilibrado até que chegue o momento do rebalanceamento.


Limite

Com o rebalanceamento de limites, a alocação de ativos do seu portfólio é ajustada quando o valor de um ativo ultrapassa um determinado limite.

Por exemplo, seu portfólio de 50% BTC, 25% ETC e 25% Cardano tem um limite de ± 10%. Se a porcentagem de qualquer ativo dentro do portfólio aumentar ou cair 10%, é hora de fazer o rebalanceamento. Caso contrário, se o limite não for atingido, não há necessidade de fazer o rebalanceamento.

Este tipo de rebalanceamento é ótimo para reduzir o custo em taxas de transação.


Como pode ser feito o rebalanceamento de portfólio


Manualmente

Esse tipo de abordagem consiste em executar o rebalanceamento de forma própria, sem ajuda ferramental externa.

Quando o reequilíbrio for necessário, você venderá e comprará ativos em seu portfólio para atender à alocação alvo. Isso pode ser um pouco complicado operacionalmente, pois idealmente deve-se executar todas as transações o mais rápido possível.


Automaticamente

Se você preferir não se envolver no processo de compras e vendas do rebalanceamento, existem consultorias e ferramentas que podem fazer o serviço de forma automatizada, como a Aperium.

O rebalanceamento automatizado retira a emoção e mantém em equilíbrio a estratégia do cliente.



11 views0 comments

Recent Posts

See All