top of page

Pai do Fundador da FTX Acusado de Desvio Milionário Estava Insatisfeito com Pagamento que Recebia


Em mais um capítulo surpreendente do escândalo em torno da falência da exchange de criptomoedas FTX, os advogados da empresa entraram com uma ação acusando Joseph Bankman e Barbara Fried, pais do fundador Sam Bankman-Fried, de abusarem de sua influência sobre o filho para desviar milhões de dólares dos cofres da empresa. O processo detalha que o pai de Sam Bankman-Fried estava profundamente insatisfeito com seu salário anual de US$ 200 mil (aproximadamente R$ 1 milhão na cotação atual), alegando que isso representava apenas um quinto do que ele acreditava que merecia.


Segundo o portal Business Insider, Bankman expressou seu descontentamento não apenas a funcionários da FTX, mas também ao próprio filho por meio de e-mails. Bankman alegou ao chefe de administração da empresa nos Estados Unidos que estava recebendo US$ 16.667 (R$ 85,5 mil) por mês, quando na realidade seu salário correto deveria ser de US$ 1 milhão por ano (R$ 5 milhões).


Em resposta a isso, Bankman-Fried escreveu: "Nossa, Sam, não sei o que dizer aqui. Esta é a primeira vez que ouço falar dos US$ 200 mil por ano de salário". Os advogados da FTX alegam que o pai pressionou vigorosamente o filho a aumentar seus ganhos.


Os advogados alegam que a influência de Bankman não beneficiou apenas a ele próprio, mas também Barbara Fried. Segundo eles, em apenas duas semanas, Bankman-Fried teria presenteado seus pais com um total de US$ 10 milhões (R$ 50,1 milhões) em fundos da Alameda Ltd., empresa relacionada.


Além disso, o processo afirma que, em um período de apenas três meses, o fundador da FTX transferiu a escritura de uma propriedade nas Bahamas no valor de US$ 16,4 milhões (R$ 82,2 milhões) para seus pais, pagando com fundos provenientes da empresa.


Os documentos legais também alegam que o casal teria gasto mais de US$ 90 mil (R$ 451 mil) da FTX em melhorias em sua residência e doado impressionantes US$ 5,5 milhões (R$ 27,6 milhões) para a Universidade de Stanford em um esforço para "obter favores e enriquecer seu empregador às custas do Grupo FTX".


Em resposta às acusações, os advogados de Joseph Bankman e Barbara Fried, Sean Hecker e Michael Tremonte, acusaram a FTX de tentar "intimidar" o casal e minar o processo judicial poucos dias antes do início do julgamento de seu filho.


"Esta é uma tentativa perigosa de intimidar Joe e Barbara e minar o processo do júri poucos dias antes do início do julgamento de seu filho. Essas alegações são completamente falsas", afirmaram.


Vale lembrar que o grupo FTX, que inclui a empresa comercial Alameda Research, entrou com pedido de falência em novembro de 2022, revelando um escândalo de uso inadequado de fundos de clientes para manter a Alameda Research operando. Desde então, Sam Bankman-Fried enfrentou oito acusações criminais, se declarou inocente e foi preso em janeiro deste ano. O julgamento por acusações federais de fraude está programado para começar em 3 de outubro.


5 views0 comments

Comentários


bottom of page